sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

PROCESSOS HÍBRIDOS VOL. VII - São José do Rio Preto - SP

Processos Híbridos de Criação chega ao seu volume VII e desembarca em São José do Rio Preto - SP. Na Oficina Cultural Fred Navarro que faz parte das Oficinas Culturais do estado de São Paulo.


Processos Híbridos de Criação é uma oficina de performance ministrada por JDR (João de Ricardo - performer, encenador e professor). É uma chave para abrir o corpo - cotidiano da cidade em arte. Trabalharemos ativamente na construção de uma pirâmide performática. Para desenhá-la puxamos linhas vindas de pontos que, por convenção cultural, estão separados: cotidiano, aprendizado, arte. Iremos nos encontrar com essas pesquisas poéticas que atravessam gerações de artistas, das raízes do modernismo até as práticas multifacetadas que envolvem artistas contemporâneos obstinados em trabalhar VIDA ARTE.

Tomaremos contato também com o atual estágio de pesquisa de JDR chamado Performance Designs Life. A dissolução das ações estéticas potencializando toda plasticidade do cotidiano. Por fim, mas sem fim, desenvolveremos projetos pessoais no seio dessa comunidade efêmera: Processos Híbridos de Criação Vol. VII - Performance Designs Life -

8 e 9/12 – sábado e domingo – 9h às 13h e 14h às 18h

Público: interessados em teatro, dança ou performance a partir de 16 anos

Inscrições: 15/11 a 6/12

Seleção: carta de interesse

20 vagas


Primeiro dia:

Aula 1

1 - Onde está a performance?
A performance arte e sua genealogia histórica (levando em conta quem e onde esta história está ocorrendo)


A performance como campo de conhecimento transdiciplinar. Os performance Studies.
Performance X Performance Arte.


2 - Ação, comportamento, espaço.
Tarefa ocupar o espaço de forma máxima e mínima. A cada ciclo da experiência fomos agregamos espaços que estavam conectados com o espaço primeiro até chegarmos a totalidade do terreno da Oficina FRED NAVARRO.





3 - Desenhar um mapa da experiência anterior. A partir do mapa conversamos sobre a potência e a plasticidade do espaço aparentemente concreto.
A possibilidade e o mistério de alterar a percepção sobre o "real". A sensação de si mesmo, a percepção do mundo exterior e a criação de TRANSZONAS onde as aparentes separações entre os corpos ganham fluidez e porosidade.




4 - Vimos alguns trabalho do querido amigo Marcus Vinicius - especialmente TERRITÓRIO EXPANDIDO 1.

PARTE 2:


1 - Desenhamos alguns elementos da sala. - Como o desenho é estruturado? Como o desenho pode ajudar a uma compreensão visual da estrutura do espaço? Linhas e pontos. (linha orgânica - linha luz - Clark)



Abordamos  o corpo - espaço - ação inspirada por Lygia Clark. Possibilidade de relacionar a primeira fase do trabalho da a artista - neoconcreto - com as proposições posteriores onde o ATO ganha relevância primeira.




2 - Com barbante e durex nos apropriamos das linhas descobertas no espaço. Com o barbate expandimos essas linhas, deslocando seus vetores e assim, alterando de forma concreta o espaço.



 3 - Comemos as linhas do espaço.





4 - Babamos essas linhas sobre o corpo de um dos colegas








5. fomos puxando - removendo as linhas do corpo do colega criando expansões, como anteriormente havíamos feito com o espaço trabalhando sobre a sua pele.






6 - Projeção e discussão das idéias - obras de Lygia Clark. Pele, moldura, linha, espaço, modulação, relação, ato, experiência, presente, hibridismo, cura, processo de pesquisa artística.

_
Processos Híbridos de Criação: relações possíveis entre o pensamento de Lygia Clark e uma pedagogia de Performance.

sábado, 18 de agosto de 2012

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Performance

Performance hj, para ajudar a abrir os caminhos e as portas das nossas salas de teatro da UFRGS que estão INTERDITADAS. Abre-te sésamo, abracadrabra, abra-se o reino.
foi das 14  até ãs 16:15, na Av Salgado Filho, grudado no prédio da Sala Alziro Azevedo, que está, junto com a sala Qorpo Santo, INTERDITADA.

terça-feira, 22 de maio de 2012

PROCESSOS HIBRIDOS DE CRIAÇÃO vol VI


AMIGOS DE PELOTAS!!!!
PROCESSOS HIBRIDOS DE CRIAÇÃO vol VI 
UFPEL - PELOTAS- BRASIL
Oficina de Performance e Palestra
oficina: dia 23 e 24 de maio 9-17h
palestra dia 24 de maio 19h
durante a I SEMANA DE LICENCIATURA EM TEATRO - UFPEL


confira a programação completa AQUIII!!!!

PRIMEIRAS  3h aula performance.



sexta-feira, 4 de maio de 2012

encontro egomáquino referenciais

ontem demos um mergulho na arte-tecnologia performando para compor a EGOMÁQUINA
projeto de vídeo-instalação-interativa que to colaborando com os artistas pedro harres que é cineasta e o otávio donasci, que é FODA, papai das videocriaturas.
VEJAM AQUI O BLOGUE DO PROCESSO




Para dar uma idéia de quem são os artistas envolvidos no projeto e qual seu background, posto aqui 3 vídeos.

João de Ricardo



Otávio Donasci



Pedro Harres




sábado, 21 de abril de 2012

performance modela vida (performance designs life)




documentação fotográfica da aula-performance
Bispo do Rosário
um trajeto que encarnou a complexidade do sagrado, pondo em conexão a fúria monetária das neo-igrejas show com o sagrado (sem órgãos) do artista Bispo do Rosário.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Cuide de você!

O e-mail que a Sophie Calle recebeu e que deu origem ao trabalho na postagem anterior:


"Sophie

Há algum tempo venho querendo lhe escrever e responder ao seu último e-mail. Ao mesmo tempo, me pareceria melhor conversar com você e dizer o que tenho a dizer de viva voz. Mas pelo menos será por escrito.


Como você pôde ver, não tenho estado bem ultimamente. É como se não me reconhecesse na minha própria existência. Uma espécie de angústia terrível, contra a qual não posso fazer grande coisa, senão seguir adiante para tentar superá-la, como sempre fiz. Quando nos conhecemos, você impôs uma condição: não ser a “quarta”. Eu mantive o meu compromisso: há meses deixei de ver as “outras”, não achando obviamente um meio de vê-las, sem fazer de você uma delas.


Achei que isso bastasse; achei que amar você e o seu amor seriam suficientes para que a angústia que me faz sempre querer buscar outros horizontes e me impede de ser tranquilo e, sem dúvida, de ser simplesmente feliz e “generoso”, se aquietasse com o seu contato e na certeza de que o amor que você tem por mim foi o mais benéfico para mim, o mais benéfico que jamais tive, você sabe disso. Achei que a escrita seria um remédio, que meu “desassossego” se dissolveria nela para encontrar você.


Mas não. Estou pior ainda; não tenho condições sequer de lhe explicar o estado em que me encontro. Então, esta semana, comecei a procurar as “outras”. E sei bem o que isso significa para mim e em que tipo de ciclo estou entrando. Jamais menti para você e não é agora que vou começar.


Houve uma outra regra que você impôs no início de nossa história: no dia em que deixássemos de ser amantes, seria inconcebível para você me ver novamente. Você sabe que essa imposição me parece desastrosa, injusta (já que você ainda vê B., R.,…) e compreensível (obviamente…); com isso, jamais poderia me tornar seu amigo.


Mas hoje, você pode avaliar a importância da minha decisão, uma vez que estou disposto a me curvar diante da sua vontade, pois deixar de ver você e de falar com você, de apreender o seu olhar sobre as coisas e os seres e a doçura com a qual você me trata são coisas das quais sentirei uma saudade infinita. Aconteça o que acontecer, saiba que nunca deixarei de amar você da maneira que sempre amei desde que nos conhecemos, e esse amor se estenderá em mim e, tenho certeza, jamais morrerá.


Mas hoje, seria a pior das farsas manter uma situação que você sabe tão bem quanto eu ter se tornado irremediável, mesmo com todo o amor que sentimos um pelo outro. E é justamente esse amor que me obriga a ser honesto com você mais uma vez, como última prova do que houve entre nós e que permanecerá único.


Gostaria que as coisas tivessem tomado um rumo diferente.


Cuide de você."

sophie calle lebrada por jéssica lusia (take care of yourself)



vida pessoal < - > obra aberta <-> o outro

a jéssica nos toruxe sophie calle. um presente, um processo de artevida.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Abismo

(pós-Bispo)

Vagueio, vagueio-me para reabitar-me, me deixo em cacos para rasgar e inundar. Até onde meus pensamentos aguentam e depois desse limite. OS PENSAMENTOS SOLÚVEIS DESEMBOCAM-NA CORRENTE SANGUÍNEA E FAZEM PULSAR O CORPO INTEIRO. TONTURA E FALTA DE AR.
Magnético.
Olhos imãs capturando tudo pra si, deixando vir os arrepios porque é quando os poros se abrem pra imergir e emergir. tudo pulsa.
as mãos tremulas pinçam letras.
os pés de uma leveza áspera me caminham.
AQUI, no passado/presente/futuro.
AQUI, com a visão escancarada.
acordando sem ter dormido.
luzfria|espelhod’água.
cubro meus sonhos com linha de costura azul.
tudo tem um lugar, ou vários lugares;
uma identidade, ou tantas outras inumeráveis.
cicatriz escancarada ou silenciosa. A mesma cicatriz de ruído e silêncio.
A beira de.
Prestes a.
Transbordo então.
os pés balançam procurando o chão.
não encontram, porque nunca é o fim.
sem tocar o chão, até não encontrar.
ABISMO-ME.

Hannah Höch

Hannah Höch, Das schöne Mädchen (The Beautiful Girl, 1919-1920)

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Três tempos. A poesia de Matos, a canção de Caetano e o hoje. Me sinto forasteiro sob a bandeira que nasci. O Brasil ainda arrasta cadáveres pesadíssimos de instituições feitas por irmãos e cidadãos que emperram a vida e sugam outros irmãos e cidadãos. Instituições públicas interesses privados. É a máquina mercante a máquina morte que só faz estratificar mais, deixar as coisas como estão, parar, morrer, gelar. Máquina de colarinho branco, de carimbos e papéis. De escusas reuniões em escusos gabinetes. de cabides de emprego. de colegas cegos às demandas do OUTRO> Triste Brasil - Ó quão dessemelhante.

Triste Bahia
Triste Bahia! Ó quão dessemelhante
Estás e estou do nosso antigo estado!
Pobre te vejo a ti, tu a mi empenhado,
Rica te vi eu já, tu a mi abundante.

A ti trocou-te a máquina mercante,
Que em tua larga barra tem entrado,
A mim foi-me trocando, e tem trocado,
Tanto negócio e tanto negociante.
...
Gregório de Matos

quinta-feira, 1 de março de 2012

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

PROCESSOS HíBRIDOS VOL V. POA- RS- BRASIL

Processos Híbridos de Criação chega ao seu volume V. É uma oficina de performance ministrada por JDR (João de Ricardo - performer, encenador e professor). É uma chave para abrir o corpo - cotidiano da cidade em arte. Trabalharemos ativamente na construção de uma pirâmide performática. Para desenhá-la puxamos linhas vindas de pontos que, por convenção cultural, estão separados: cotidiano, aprendizado, arte. Iremos nos encontrar com essas pesquisas poéticas que atravessam gerações de artistas, das raízes do modernismo até as práticas multifacetadas que envolvem artistas contemporâneos obstinados em trabalhar VIDA ARTE. Tomaremos contato também com o atual estágio de pesquisa de JDR chamado Performance Designs Life. A dissolução das ações estéticas modelando e significando o cotidiano. Por fim, mas sem fim, desenvolveremos projetos pessoais no seio dessa comunidade efêmera que já está em formação: Processos Híbridos de Criação Vol. V - Performance Designs Life - CCMQ Porto Alegre Brasil. OFICINA GRATUITA DE PROCESSOS HÍBRIDOS DE CRIAÇÃO Período: 15 de março a 06 de junho de 2012. Dias: Quintas-feiras. Horário: 19h. Local: Sala Cecy Franck (4º andar), com exceção dos dias 12 de abril e 7 de junho, quando ocorrerão na Sala Cláudio Heemann (2º andar) – Casa de Cultura Mario Quintana (Andradas, 736). Inscrições: Pelo e-mail joaodericardo@gmail.com, mediante envio de carta de intenção. Informações: Telefone 9191-1930. inscrições gratuitas, mediante envio de carta de intenção, para o e-mail joaodericardo@gmail.com. LINK CASA DE CULTURA MARIO QUINTANA

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

pinherinho - truculência do estado


ricardo boechat fala sobre pinheirinho com a lucidez de sempre.
"senhor geraldo alkmin, em que passagem da bíblia o senhor encontra liberacão moral para fazer o que fez? heim?"

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012